fbpx

Relatos de Viagem

Relato Chapada das Mesas-MA

16 de outubro de 2018

Bastidores da expedição

Por Tom Alves

Conheci a região da Chapada das Mesas em 2010, quando iniciei minha carreira de fotógrafo de viagens. Foi meu primeiro trabalho, oficialmente. Produzir uma reportagem sobre turismo para uma revista de aventura, que deveria ser num local ainda pouco conhecido pelo público, mas com grande apelo visual. Apesar de não conhecer o destino, decidi apostar minhas fichas ali. Eu sabia que o resultado daquela viagem poderia-me abrir portas no mercado editorial, e de fato isto determinou o início de uma jornada que tenho muito orgulho de ter feito parte.

Hoje as coisas estão bem mudadas, as revistas cederam espaço à novas formas de comunicação e sucumbiram quase que por completo. Para mim, o legado deste tempo ficou na aprendizado fotográfico, amizades e experiências adquiridas em quase 10 anos de fotografia editorial de viagens e natureza. Com certeza, só estou hoje liderando expedições mundo afora, porque as incontáveis viagens apurando pautas das mais variadas, me serviram de alicerce para conhecer tantos destinos e o chamado “trading turístico”.

Mas voltando ao foco desta postagem, lembro-me que fiquei fascinado com a Chapada das Mesas. Por um lado, ela poderia bem ser chamada de “Arizona brasileiro”, com suas formações colossais areníticas, no meio de um cerrado intrincado, na época da seca se assemelha a um imenso deserto. Porém em áreas mais úmidas e numa observação mais cuidadosa, a região se revela num paraíso das águas, com rios de todo porte, alimentados por um afortunado aquífero, que não deixa que se minguem corpos d´água como o Farinha, o Itapecuru e o gigante Tocantins. Não por acaso, Carolina, a cidade central para se conhecer a região, foi apelidada de Terra das Cachoeiras.

E nesta função de apresentar as belezas da Chapada menos conhecida do Brasil ao grupo de oito fotógrafos que participaram desta viagem, embarcamos nesta viagem, que na verdade, para mais da metade do grupo, teve início ainda no Jalapão, pois emendamos duas expedições fotográficas. Em Carolina reunimos o grupo, parte vinda de Imperatriz, parte vindo comigo, de Palmas. Com o apoio super profissional, carinhoso e dedicado de nossa agência parceira, a Torre da Lua Ecoturismo, fomos assessorados por quem mais conhece a região. Detalhes como mensagens personalizadas em nossos lanches de trilha, atenção e cuidado de nossos guias, fazem toda a diferença.

Durante uma semana, vimos muita coisa. Madrugamos todos os dias. Ora para fotografar a saída do sol num mirante ou serra, ora para vê-lo despontar no horizonte a bordo de um barco no Rio Tocantins, ou mesmo para fotografar o casario colonial de Carolina nas primeiras luzes do dia. E os pores do sol, todos espetaculares. O calor escaldante e o cansaço pelo ritmo intenso da viagem eram recompensados – com louvor! – pelas paisagens deslumbrantes e banhos de rio, que não foram poucos!

Confiram nas imagens a seguir um pouco de como foram nossos dias na Chapada das Mesas.

Leia também

Atacama -2017 Piedras Rojas Por Tom Alves O deserto mais árido do mundo já era um destino que eu há muito tempo gosta...
Kia Ora – Nova Zelândia 2015 Por Tom Alves Acredito que nenhuma pessoa possa sair ilesa de uma experiência tão fascinante que é conh...
Relato Workshop Noturnas Serra do Cipó No mês de julho deste ano, realizamos dois workshops de fotografia noturna na Serra do Cipó, durante a sem...

Fotógrafo antes mesmo de saber disso. Minha fotografia nasceu do observar e conviver com a natureza, com o sertão e seus sertanejos.

Curta Nossa Página no FB!